8 dicas para planejar sua viagem para Itália

8 dicas para planejar sua viagem para Itália

Já pensou em viajar pelas paisagens italianas? Conhecer construções antigas e imponentes catedrais? Esta é uma viagem que pode ser feita por um viajante independente, entre amigos ou em família: a Itália tem atrações para todos os perfis.

Também é uma ótima viagem para fazer a dois. Afinal, é neste país que estão alguns dos cenários mais românticos do mundo.

Este é um destino do seu interesse? Então fique atento a oito dicas para planejar um passeio tranquilo:

8 dicas para organizar uma viagem para Itália

1. Faça uma lista dos documentos necessários

Viagem para Itália

Para uma viagem para Itália tranquila e bem organizada, comece fazendo uma lista de todos os documentos que podem ser solicitados quando você desembarcar no país. São eles:

  • Passaporte: com validade que cubra, pelo menos, três meses depois da sua data de retorno ao Brasil.
  • Comprovante de que você tem como se manter financeiramente no país durante a estadia. Para isso, podem ser utilizados dinheiro em espécie, título de crédito, fatura de cartão de crédito internacional, saldo de cartão pré-pago ou comprovante bancário, por exemplo.
  • Comprovante de reservas em hotéis ou carta-convite, se você for se hospedar na casa de um residente do país.
  • Seguro viagem.
  • Passagem de volta, com data para no máximo três meses depois do desembarque na Europa. Para viagens de mais de três meses, é necessário visto.

2. Compre as suas passagens com antecedência

Quanto antes você começa a pesquisar por passagens, maiores são as chances de conseguir uma boa oferta. Muitos sites utilizados para pesquisa de bilhetes permitem que seja criado um alerta, que avisa quando há anúncios mais em conta.

Há voos diretos que vão do Brasil à Itália, que partem de lugares como São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. Os dois principais aeroportos italianos ficam em Roma (de onde partem aviões para o sul do país) e Milão (de onde saem aviões com destino às cidades do norte).

Para mais detalhes, saiba quando e onde comprar sua passagem aérea.

3. Escolha a melhor época para você

Dicas de viagem na Itália

Na hora de definir a data em que será feita a viagem para Itália, é importante saber quais são as suas expectativas e preferências. O mês de maio, durante a primavera, é um dos períodos mais populares entre os turistas. O clima é ameno, em torno de 20°C, e as paisagens ganham as cores das flores do país.

Julho e agosto são os meses mais quentes e com os dias mais longos, uma ótima época para conhecer o litoral do país. Como esta é a época da alta temporada nas cidades que têm praia, as reservas nos hotéis destes lugares costumam ser mais caras e concorridas – é indicado fazê-las com bastante antecedência.

O país fica especialmente bonito no outono, quando os campos ficam amarelos, vermelhos e marrons. Outubro é a época em que mais chove. O frio começa a chegar, mas a temperatura é agradável.

O inverno pode ser um pouco gelado. A temperatura mínima em Veneza, por exemplo, pode chegar a 1°C. Esta é uma boa época para conhecer os Alpes italianos cobertos de neve. As estações de esqui do país ficam repletas de visitantes durante esta estação. Mais perto do Natal, é possível passear pelas tradicionais feirinhas, que ficam nas praças e igrejas das cidades.

4. Selecione os seus pontos turísticos favoritos

Em todas as partes da Itália, há atrações que encantam os seus visitantes. Um exemplo famoso é a ponte dos suspiros, em Veneza. A atração foi construída por volta de 1600 para ligar o Palácio dos Doges com as velhas e novas prisões (chamadas de Prigione). Os últimos suspiros que os prisioneiros davam ao passar pelo local, deram origem ao nome deste lugar. Hoje, os passeios de gôndola que passam embaixo da ponte dão a ela um aspecto mais romântico.

Em Roma também há muito para ver. Como o Campo de Fiori, uma praça na parte central da cidade que sedia um grande mercado, aberto de segunda a sábado. Ainda em Roma, o Coliseu é uma das sete maravilhas do mundo antigo e um passeio muito interessante para os amantes de história. O anfiteatro foi construído em 72 d.C. e foi palco de lutas entre gladiadores.

Podemos citar ainda a Torre de Pisa, em Pisa, como uma das muitas atrações turísticas que vale a pena conhecer em uma viagem para Itália. A torre é um campanário que faz parte da catedral da cidade e é famosa por ser uma construção inclinada.

Se for à Milão, considere conhecer a sua catedral, que é maior igreja da Itália. A construção tem influência gótica e precisou de quase 600 anos para ficar pronta. É possível subir até o topo da catedral, de onde é possível ver boa parte da cidade.

Durante o planejamento da sua viagem para Itália, pesquise mais sobre estas e outras atrações turísticas. Marque as suas favoritas para garantir que nenhuma será esquecida.

5. Faça o seu roteiro

Dicas em Veneza

Aproveite a viagem para conhecer as suas cidades italianas favoritas. De Veneza, você pode seguir para Florença e depois conhecer Roma, por exemplo.

Ou você pode iniciar a viagem em Roma e seguir para a ilha de Capri, onde você poderá conhecer a Gruta Azul, usar um teleférico para subir o monte Solaro e passear de barco pelas águas do Mediterrâneo. Depois, você pode seguir para Palermo, a charmosa maior cidade da Sicília.

Outra dica de roteiro é passear pela região da Toscana, que abrange cidades como Pisa, Siena e Florença. Além de ser uma oportunidade de ver de perto a bela arquitetura das cidades, este é um ótimo roteiro para quem procura fazer um bom tour gastronômico.

Saiba mais: confira os roteiros dos pacotes de viagem para itália disponibilizados pela Trains & Tours.

6. Pesquise sobre os meios de transporte para se locomover dentro da Itália

Há quatro formas de transporte principais que podem ser utilizadas como meio de locomoção na Itália. Entenda as vantagens e desvantagens de cada uma:

Ferries: balsas que ligam todas as ilhas principais ao continente.

Avião: há aeroportos em todas as grandes cidades italianas. No entanto, esta nem sempre é a melhor forma de locomoção – nem a mais rápida. O tempo de voo de Milão a Roma, por exemplo, é de apenas 1h10. Mas é preciso adicionar o tempo de deslocamento do aeroporto até o centro da cidade, o tempo de check-in, o tempo para pegar as bagagens e assim por diante. No final, além de esta ser uma opção, em geral, mais cara, ela também é mais demorada.

Carro: há a opção de alugar um carro para viajar entre as cidades italianas. A principal vantagem é a possibilidade de apreciar as paisagens durante o trajeto. Mas esta só costuma ser uma boa opção quando a viagem é feita em grupo e as despesas podem ser divididas. É importante prever gastos com gasolina, aluguel do veículo e pedágios. Vale lembrar que cidades como Roma são conhecidas por terem um dos piores trânsitos do mundo e que estacionar pode ser uma tarefa muito difícil.

Trem: já o trem é uma opção que permite que o passageiro aprecie as paisagens italianas por preço, geralmente, mais baixo do que as viagens feitas de carro ou de avião. O viajante pode seguir rumo ao seu destino descansado, sem estresse ou preocupações. Não é preciso esperar para despachar malas ou para fazer o check in. Além disso, o trem para em uma estação central, o que facilita a chegada ao hotel.

7. Aproveite a gastronomia local

Gastronomia italiana

A Itália é famosa pelas massas: especialmente pelas pizzas e pastas. Entre os pratos típicos estão o risoto, gnocchi, lasanha, bruschettas e ravioli.

Outra dica de prato que merece ser provado em uma viagem para Itália é o Carpaccio, originário da cidade de Veneza.

Já no setor de bebidas, os vinhos merecem destaque. Cada região tem o seu vinho característico. Na Toscana, por exemplo, não deixe de pedir um Brunello ou um Chianti.

Aproveite para provar também os elogiados sorvetes italianos, o café expresso (espresso, em italiano) e as geleias.

8. Faça um bom planejamento dos seus gastos

Além das passagens e do hotel, é preciso programar os gastos diários durante a viagem. Inclua no seu orçamento:

  • Despesas com passeios – O valor pode variar de uma atração para outra. Um bilhete para entrar nos museus do Vaticano, por exemplo, pode custar 28,50 euros. Já uma visita guiada de três horas custa 44 euros. Uma visita ao Coliseu, que inclui visita ao Palatino e ao Fórum Romano, custa até 16 euros.
  • Alimentação – Se você optar por um lanche na rua, pode fazer uma refeição por até 7 euros. Já nos restaurantes, vai encontrar muitas opções de pratos entre 15 e 30 euros. Atenção para as zonas turísticas, que têm preços mais altos.

Está planejando uma viagem para Itália? Conte com a Trains & Tours para garantir passeios mais tranquilos e organizados pelo país!

SUGESTÕES DE VIAGENS PARA VOCÊ

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários:
  1. Eduardo Almeida

    Boa reportagem, mas faltou falar do \”coperto\” (toalha de mesa) que os restaurantes para turistas cobram e que podem chegar a 16,00 euros dependendo do restaurante. Detalhe: você só é informado da despesa na hora da conta e se reclamar, o garçom (quase nunca delicado) aponta as letras miudinhas no cardápio. Armadilha para turista descarada. Nos outros países da Europa não existe essa pegadinha.

    • Trains & Tours Lufthansa City Center

      Bom dia Eduardo, obrigado pela dica. Não são todos restaurantes que cobram esta \”taxa\”, mas é sempre bom se informar antes para evitar surpresas desagradáveis.

      Abraços,
      Fernando Rodrigues
      Trains & Tours Lufthansa City Center
      (11) 4878-1085

Siga nosso instagram @trainsandtours

Ícone Mailing

RECEBA NOSSAS OFERTAS